sábado, maio 25, 2013

"Não é mais possível dizer que não sabíamos"

Vídeos que deveriam ser divulgados na TV, debatidos nas escolas, comentados nas mesas de bares (e churrascarias), etc... 

 

 
 
Bovine: a real vida das vacas
"Não é mais possível dizer que não sabíamos", diz Philip Low
 
Dieta absolvida: Conselho Regional de Nutricionistas publica parecer sobre dietas vegetarianas

 Troque a faca pelo garfo
 
Back to the Start - Chipotle
 
La surconsommation.
 
A Engrenagem - Instituto Nina Rosa
 
Três Razões para não comer carne de peixe
 
A Vaquinha - Trio Parada Dura
 
Morrisey - Meat is Murder
 
Pense Nisso
 
Leite Vegetal de Castanhas
 
Que diferença um dia faz
 
Atave - A Avicultura Escancarada (9:34)
 
The Meatrix
 
 
Gary Yourofsky  - Palestra sobre Veganismo
 
A carne é fraca – Instituto Nina Rosa
 
Não Matarás - os animais e os homens nos bastidores da ciência  - Instituto Nina Rosa
 
Medicina sem Crueldade
 
Os custos secretos dos Hamburgues
 
Alimentação Vegetariana e Crise Energética
http://vista-se.com.br/redesocial/alimentacao-vegetariana-e-crise-energetica/
 
Porque buddhistas deveriam ser vegetarianos
 
Por que Vegan?
 
Compra melhor, coma melhor
 
Pecuária Industrial
 
Moringa Oleífera – A verdadeira Carne Verde
 
Ora pro nobis
 
Consumo de carnes e peixes representa desperdício, diz relatório da ONU
 
Vitamina B12 – 30 informações importantes
O único nutriente que não é possível obter com um dieta estritamente vegetariana é a Vitamina B12 ativa, que é produzida por bactérias e cujas fontes principais são: carnes, leite, queijos, ovos e suplementos. Mas uma dieta onívora não garante a suplementação da B12 já que segundo esta pesquisa, em média 40% das pessoas que comem carne apresentam deficiência desta vitamina enquanto 50% dos vegetarianos apresentam a mesma deficiência. A B12 utilizada nos suplementos é proveniente de cultura de bactérias em laboratório e ela deve estar no nosso organismo acima de 490 pcg/mL e a homocisteína deve permanecer abaixo de 8 mcmol/L. Para quem tem ou quer ter uma dieta vegetariana recomenda-se consulta com nutricionistas vegetarianos. 
 
Jardim das Folhas Sagradas (Para se pensar a questão da libertação animal e do candomblé)
 
Vegetarianismo ético minimalista - Desidério Murcho
 
Sites:
 
Eventos Acadêmicos:
Encontro Nacional de Direitos Animais (2012)
 
 
 
 

 
Esta é nossa vaca e sua bezerrinha, com algumas horas de vida (em março 2013).
Seguimos uma dieta Lacto-vegetariana
(consumimos leite e derivados, mas não comemos nem ovos, nem carnes).
Também estamos nos empenhando em executar um projeto idealizado por Srila Prabhupada de PROTEÇÃO AO BOVINOS:
Mais infos em: http://www.iscowp.org/ e http://www.cowprotection.com/


 
O QUE HÁ DE ERRADO EM COMER CARNE?
10 conselhos para evitar o sofrimento dos animais em seu dia-a-dia.
 

Nas fazendas-fábricas de hoje, galinhas têm seus bicos cortados com ferro quente, porcos têm seus rabos arrancados, seus dentes removidos com alicates e, assim, como os bois são castrados e tudo isso sem anestesia. Os animais recebem alimentação com hormônios e antibióticos que aceleram seu crescimento. Freqüentemente não suportam esse crescimento e apresentam lesões nas pernas e ataques de coração. Os animais são transportados para o abate em condições péssimas, ficam sem alimento ou água por longos períodos. Finalmente nos matadouros, são pendurados de cabeça para baixo e sangram até a morte, muitas vezes ainda conscientes. Peixes, assim como todos os animais, sentem dor. Retirados da água, eles sofrem uma descompressão, seguida de uma lenta e dolorosa morte por asfixia. As fazendas-fábricas e os tanques de peixes deixam um dano ambiental que gerações futuras serão forçadas a pagar. A indústria da carne é a maior poluidora de nossas águas e a que mais desperdiça esse recurso natural. Comer carne é prejudicial para a saúde humana. A carne contém gordura e colesterol em excesso, não possui fibras ou carboidratos. Pessoas que consomem produtos de origem animal são mais suscetíveis a doenças do coração e câncer. Há também maior rico de desenvolver muitas outras doenças, como osteoporose, artrite, diabetes, impotência sexual e intoxicação alimentar.
 
O QUE VOCÊ PODE FAZER PARA EVITAR O SOFRIMENTO  DOS ANIMAIS EM SEU DIA-A-DIA.
VESTUÁRIO - Quando comprar calçados, roupas e acessórios, considere as alternativas. Ao invés de comprar couros, lãs e peles, compre produtos sintéticos ou de fibras naturais, eles são igualmente atrativos, mais baratos e não causam dor aos animais.
ALIMENTAÇÃO - Diminua o consumo de carnes, laticínios e ovos. As condições das fazendas-fábricas onde a maioria dos animais de consumo é criada são muito desumanas. O consumo de carnes, ovos e derivados do leite está diretamente relacionado à incidência de cânceres e doenças do coração. O vegetarianismo é a melhor forma de viver de forma saudável, ao mesmo tempo em que previne o sofrimento dos animais.
OPÇÕES - Procure alternativas ao uso de produtos de origem animal. Apresente a sua família um queijo sem colesterol chamado tofu e use produtos de padaria que não contenham ovos. Consuma produtos da soja,trigo e outros grão em substituição à carne. Existem boas opções de restaurante e livros de culinária vegetariana.
COSMÉSTICOS - Informe sobre quais empresas testam seus produtos em animais, ligando para o serviço de atendimento ao consumidor. Não apóie as empresas que causam dor aos animais testando seus produtos nos olhos de coelhos para depois sacrificá-los, e tantas outras atrocidades. Não compre produtos que contenham substâncias de origem animal. Pesquise no site www.pea.org.br as listas com algumas das empresas que realizam ou não estes testes.
EM CASA- Conscientize seus familiares e amigos para que não cacem, pesquem ou capturem animais. Estes esportes são bárbaros e perigosos que só causam sofrimento, tanto aos animais quanto às pessoas, que podem se machucar com as armadilhas.
EDUCAÇÃO – Proteste se houver experimentação animal em sua escola ou faculdade. Você pode recusar a participar de experimentos que causem dor, medo, sofrimento ou morte dos animais. Informe se sobre a lei de objeção de consciência. Sugira alternativas como vídeos, a demonstrações em computadores, manequins que se assemelham aos animais. Mais informações: www.institutoninarosa.org.br no projeto educação livre de violência.
ABRIGOS – Não leve animais para abrigos. Os abrigos de animais estão superlotados e não há estrutura para mantê-los lá. A vida desses animais é de muito sofrimento: eles vivem amontoados e sem expectativa de adoção. Os abrigos e pessoas que mantêm muitos animais precisam de ajuda, não de mais animais. Se você não quer ou não pode ficar com um animal, vacine, castre e procure um dono responsável. Informe-se sobre castração e posse responsável no Centro de Controle de Zoonoses de sua Cidade.
POSSE RESPONSÁVEL – Se você decidiu “ter” um animal de estimação, procure saber quanto tempo esta espécie pode viver , verifique se você terá espaço, tempo e os recursos necessários para cuidar deste animal. Lembre-se que se trata de um ser vivo, que dependerá de você e precisa de carinho, companhia, atenção, higiene e cuidados veterinários. Cães e gatos devem ser castrados para evitar a superpopulação e doenças. Animais silvestres não são animais de estimação! Não apóie o tráfico e comércio de animais.
VOCÊ – Use sua voz em favor dos animais: busque informações, mobilize e informe sua comunidade e círculo de convivência. Faça isto para falar por aqueles que tanto sofrem e não podem falar por si próprios!

2 comentários:

Natalie Rios disse...

Oi Lisa!
Que bonita seleção de materiais!
Gratidão por compartilhar.

Maria Elisa von Zuben Tassi disse...

Oi Natie, na verdade eu recebi esta seleçao por e-mail, sem a autoria! O ideal seria eu fazer uma filtragem ainda, no entanto ainda não consegui ver todos os links. Mas são bem interessantes sim!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...